Sonia Gomes | Brasil

É artista visual. Suas esculturas são construídas a partir de tecidos e outros objetos encontrados, torcidos, amarrados e manipulados até se transformarem em tramas espaciais complexas. Tem como procedimento a desconstrução das técnicas de manufatura de tecidos, eliminando qualquer finalidade de uso desses materiais. Suas obras remetem, pela estamparia, cores e técnicas empregadas, a um universo íntimo ligado à memória familiar e à identidade racial e cultural da artista, além de remeter à sua cidade natal, Caetanópolis, importante centro mineiro de indústria têxtil. Estudou Artes Plásticas na Escola Guignard da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Belo Horizonte, entre 1995 e 1997. Teve sua obra exibida no Museu Afro Brasil, São Paulo, 2013; no Kunsten-Museum of Modern Art, Aalborg, Dinamarca, 2013; no Kunstmuseum, Wolfsburg, Alemanha, 2013; e em mostra individual na galeria Lehmann Maupin, Nova York, 2015. Vive e trabalha em Belo Horizonte, Brasil.

Deslocar | 2015, instalação

A instalação Deslocar desdobra a extensa pesquisa de Sônia Gomes com os têxteis, ou materiais que vestem “tanto a casa quanto o corpo”, como ela descreve. A partir da memória contida nos retalhos de tecido e os diversos tipos de fita que acumula, Gomes corta, cerze e junta pedaços de diferentes texturas e cores, criando formas sobre o arame torcido. Em Deslocar, experimenta uma escala que desafia a intimidade do corpo para dar ênfase ao gesto que constrói a obra. Cada curva ou reentrância da peça parece falar de um sujeito, em sua singularidade, ou de um coletivo que compartilha história e cultura. “Sempre busquei um inconformismo das coisas que estão estabelecidas, sempre quis dar um toque diferente naquilo. Meu trabalho surgiu dessa artesania”, diz a artista.