Gabriel Abrantes | Portugal

É  cineasta, artista visual e professor, atuante entre o cinema, a instalação e a pintura. Em sua cinematografia, é marcante a presença do sarcasmo, bem como da paródia e de outras figuras de linguagem que a circundam, como o pastiche e a ironia, manipulando os clichês encontrados nos produtos da cultura de massa e dos cenários periféricos. Cientes da escala global adquirida pela indústria de entretenimento, os enredos de seus filmes abordam contextos mais amplos, como os do colonialismo, do imperialismo e das identidades culturais e de gênero que ganharam visibilidade neste começo de século, articulados a partir do riso e de uma visão iconoclástica da história da arte. Seu trabalho foi exibido em exposições no MIT List Visual Arts Center, Cambridge, Estados Unidos; no Palais de Tokyo, Paris, França; e no Centre Georges Pompidou, na capital francesa. Tem entre seus colaboradores frequentes os artistas e cineastas Daniel Schmidt, Benjamin Crotty e Ben Rivers.  Estudou cinema e artes visuais na The Cooper Union for The Advancement of Science and Art, Nova York, entre 2002 e 2006, quando também realizou intercâmbio na École Nationale de Beaux-Arts, em Paris. Em 2008, concluiu pós-graduação no Le Fresnoy Studio National des Arts Contemporains, em Tourcoing, França. Desde 2014, leciona cinema na Haute École d’Art et Design, em Genebra, Suíça, onde vive e trabalha.

Liberdade | 2011, vídeo

Filmado em Luanda, acompanha a relação entre um jovem angolano, Liberdade, e sua namorada chinesa, e os problemas que surgem quando ele rouba Viagra de uma farmácia para resolver sua impotência. Viajando entre paisagens rurais e urbanas de Angola, o filme aborda relações amorosas criadas pela imigração de massa e as consequências econômicas do capital internacional na África. Foi premiado no Festival de Locarno (2011) e no Indie Lisboa (2011).


Gabriel Abrantes também participa dos Programas de Filmes do 19º Festival. Saiba mais.